Arquivo da categoria: Europa

Roteiro de 3 dias em Roma: Dia 2 – Gastronomia e Arte

O segundo dia em Roma é de arte e gastronomia, que começa com uma Cripta de freis e termina com um delicioso jantar romano.

Os três lugares gourmet nesse roteiro são para o  mochileiro aproveitar a culinária Italiana dentro do budget. Em Roma você vai encontrar só um pouquinho do que é a gastronomia da Itália, mas aproveita por que é único!

1. Catacumba Cripta dei Cappuccini

A cripta é dividida em 5 capelas, uma seguida da outra ao longo de um corredor, decoradas com caveiras e ossos de freis. Meninas, se visitarem o local no verão, lembre de levar um lenço para cobrir o ombro, pois é proibido entrar com ombros de fora, decote ou sair curta. Meninos, não usem manga cavada, short e chinelo, melhor uma calça + tenis. Fica dentro da igreja Santa Maria della Concezione dei Cappuccini, na Via Veneto, 27.

2. Piazza Barberini

Desça a avenida até a Piazza Barberini. No meio da fonte tem uma escultura linda do Bernini (artista barroco, o mesmo da Fontana di Trevi). Se você já está com fome, lembre-se da dica do lanchinho que a gente falou no outro post!

Ali perto, voltando pela avenida onde estava a cripta (Via Veneto) você encontra ponto de ônibus (Fermata Barberini). Pegue o número 116 para o Castelo Sant’Angelo.

3. Campo di Fiori

De segunda a sábado acontece uma feira onde é possível encontrar condimentos, queijos, massa caseira e outras especialidades dos agricultores locais. No meio da praça existe uma estátua em homenagem à Giordano Bruno, filósofo condenado pela inquisição em 1600 pelos seus estudos que incluíram idéias sobre a relatividade e princípios da teoria da evolução.

 4. Doce italiano: Padaria Il Fornaio

 O lugar oferece várias opções de doces artesanais de diferentes origens da Itália e também panini (sanduiches), sendo que o mais famoso é o sanduiche de mortadela. É um ótimo lugar para tomar café da manhã ou comer um docinho no meio do dia, já que tem opções para todos os gostos. A sensação é de entrar na casa da nonna do Willy Wonka. Fica na Via de Baullari, 5-7.

5. Piazza Navona

A Piazza Navona foi construída no formato de estádio.  Era usada para diversos fins, como apresentações de teatro, corridas de cavalo e até para simulações de batalhas navais. No meio da Piazza você encontra a bela Fontana dei Quattro Fiumi, feita por Bernini (escultor barroco) no século 17. É também nessa Piazza que você encontra a embaixada brasileira.

Piazza Navona

Piazza Navona – Foto do Humberto Hirochi

6. Castello Sant’Angelo

A estrutura original do castelo é de 139 d.c, mas ele foi reformado diversas vezes. Já serviu como mausoléu, fortaleza militar, fortaleza do Papa e prisão. Hoje é um museu que abriga objetos que contam a história do lugar e das pessoas desde sua fundação. A vista do terraço é muito legal, é possível ver parte do Vaticano.

Vista do Castelo Sant'Angelo

Vista do Castelo Sant’Angelo

Castelo Sant'Angelo

Castelo Sant’Angelo

Atenção também à ponte em frente ao castelo. As estátuas dos anjos ao longo da ponte foram criadas por Raffello (aluno de Michelangelo) no século 16.

7. Gelateria del Teatro (o melhor sorvete do mundo)

Eu considero essa sorveteria a melhor do mundo! Ela fica em um lugar super charmoso e escondidinho,  legal tanto para aproveitar com a galera quanto para um encontro romântico. Fica na Via di San Simone, 70.

8. Trastevere

É um bairro super charmoso, com vielas estreitas, pequenas galerias de arte e barzinhos. O bairro também tem muitos restaurantes bons, com pratos típicos Romano. Um ótimo restaurante, e também acessível, é o Roma Sparita.

9. Roma Sparita

Atualmente é o meu restaurante favorito em Roma. Tem cara de restaurante de família, a comida é saborosa e com preço acessível. O principal prato é o Cacio e Pepe, um macarrão com queijo típico da região (Cacio) e pimenta do reino (Pepe), numa casquinha de parmesão. O prato custa €13.00. Se você só ficar no prato principal mesmo, não vai gastar muito.

É melhor fazer a reserva antes, por que o lugar sempre está lotado.

Vai para Roma? Dá uma olhada no roteiro do dia 1 e outras dicas de viajante:

1. 10 Dicas de viagem para Roma

2. Roteiro de 3 dias em Roma – Dia 1 no Centro

3 . Café da manhã em Roma: Comer como os italianos

Deixe um comentário

Arquivado em Destinos, Europa, Itália

Roteiro de 3 dias em Roma: Dia 1 no Centro

Tenho feito viagens frequentes a Roma nos últimos dois anos, já que meu namorado mora lá e temos mantido o relacionamento à distância. Nesse tempo, fiz e refiz roteiros com amigos que acabavam passando por lá para uma visitinha, e acabei criando um roteiro meu bem fácil para os viajantes que estão fazendo uma visita curta à cidade, por volta de 3 dias.

Para começar, tenha em mente que a melhor forma de conhecer o centro de Roma é andando. No centro, as distancias são razoáveis, e você sempre pode andar e parar um pouquinho para apreciar a vista enquanto toma um “gelato” ;)

1. Coliseu + Foro Romano (sugiro que comece cedo, umas 9h00)

Os arredores do Coliseu está cheio de guias turísticos tentando te vender algo que você não vai precisar. Eles cobram por volta de €30.00 para fazer o tour do Coleseo + Foro Romano (Ruínas que formam o centro comercial de Roma Antiga), enquanto você pagaria apenas €17.00 para fazer isso sozinho. O ticket comprado no Coliseu já te dá direito à visita no Fórum Romano. Também tem a opção de comprar o Roma Pass em bancas de revista ou pontos turísticos, que dá descontos em museus (se você for visitar muitos, vale a pena).

Após o Coliseu, pegue a Via dei Fori Imperiali. Ao seu lado esquerdo você verá o Foro Romano. É melhor pegar um audio guide para fazer a visita, pois as vezes pode ser um pouco confuso entender onde ficavam as antigas construções.

Seguindo o roteiro do audio guide você subirá uma colina e encontrará uma vista incrível para o Coliseu. É aquele momento que você não em palavras, só um “wow”.

Coliseu

Coliseu

Vista do Foro Romano

Vista do Foro Romano

2. Il Vittoriano

Após uma parada para um lanchinho (mais dicas preciosas nesse outro post), volte à Via dei Fori Imperiali e siga até o final da avenida, onde você encontrará o Monumento a Emanuelle II (o primeiro rei de Roma unificada). Esse monumento é  megalomaníaco, na minha opinião. Na época do seu projeto, o objetivo é que ele fosse visto de toda cidade, e para isso não pouparam nem as ruínas de Roma antiga. Algumas foram destruídas para a sua construção, e reza a lenda que até um pedaço do Coliseu foi retirado para que ele pudesse ser visto . Mas, vale a pena entrar?  O museu é muito legal, com uma coleção de armas antigas bem interessante. A vista do terraço também é linda, mas eu vou te dar uma dica de vista ainda melhor. Então, se for pela vista, desencana. Se for para conhecer o museu, e história da Itália, vai fundo e gaste mais 1 horinha aí!

3. Pantheon

É incrível! Acredita que os caras projetaram aquilo no século 2?

Cúpula do Pantheon

Cúpula do Pantheon

4. Fontana di Trevi

É o meu lugar favorito de Roma até agora. A fonte é magnífica, linda, perfeita! Você se sentirá no filme “La Dolce Vita”, do Fellini. Os romanos dizem que você deve jogar duas moedinhas na fonte: 1 para pedir alguma coisa e a outra para retornar à Roma.

Fontana di Trevi

Gigi e eu na Fontana di Trevi. Foto do Humberto Hirochi.

5. Pausa para um lanchinho

Em volta da Fontana di Trevi tem uma série de bares que vendem panini e pizza, mas não coma por lá. Normalmente é caro, cheio de turista e tumultuado… Os sorvetes desses lugares também não são dos melhores (industrial, cheio de conservante, enquanto você pode achar um artesanal mais pra frente).

Nossa dica: Siga pela Via Poli, atravesse a avenida e ali você encontra alguns bares e pizzarias pequenas e baratas. Aliás, a pizza que comemos estava ótima, e custou 3 euros o pedaço.

Lanchinho numa pizzaria mais afastada da Fontana di Trevi

Lanchinho numa pizzaria mais afastada da Fontana di Trevi

5. Piazza di Spagna

Continue até chegar a Piazza di Spagna. Descanse na escadaria, dê uma olhada em volta. Agora é hora de subir as escadarias para uma vista linda!

Depois, siga pela Piazza della Trinita dei Monti (olhando para a igreja da Piazza di Spagna, caminhe por essa rua à esquerda) e pegue a primeira viela à direita (começa como uma paralela). Siga até chegar à Terrazza del Pincio. A vista é explêndida. Seguindo esse roteiro você provavelmente chegou à esse ponto com o pôr do sol, que está logo atrás da catedral de St.Peters (Vaticano). Aproveita para tirar umas fotos e compartilhar no Instagram com #levonamochila.

Piazza di Spagna

Piazza di Spagna

6. Desça até a Via del Corso e siga pelas lojas. É o mundo da perdição com Sephora, H&M, Gap e tantas outras.

7. Uma outra opção é entrar no parque atrás de você, que é a Villa Borghese. É um dos parques mais lindos de Roma. Existe uma galeria de arte clássica dentro do parque, mas é preciso comprar o bilhete e fazer a reserva antes no site www.rome-museum.com. O preço é €17.50, e não há desconto para estudantes, a não ser que você seja membro da comunidade Européia :( .

Gostaram do primeiro dia em Roma? Conta pra a gente a sua experiência.

Semana que vem tem o segundo dia em Roma: um passeio pela gastronomia e a arte milenar pelas ruas da cidade.

Acompanhe posts da série sobre Roma, dá uma olhada nas nossas dicas anteriores:

1. 10 dicas de viagem para Roma.

2. Café da manhã Italiano em Roma.

3. Gelato em Roma.

1 comentário

Arquivado em Destinos, Europa, Itália

Jantar tipicamente Romano no Roma Sparita

É impossível não falar de comida quando se fala da Itália. Mas, bem diferente do menu “italiano” do Brasil, o tipo de comida em cada região da Itália varia muito. Em Roma, o meu restaurante favorito onde é possível encontrar comida tipicamente Romana, é o Roma Sparita.

O restaurante tem cara de restaurante de família e os garçons são extremamente gentis. Os pratos mais tradicionais custam por volta de €13.00, então se você só ficar no prato principal e água, não vai gastar muito. Mas, se você quiser fazer um baquete com o menu italiano completo, o valor sobe para €60.00 por pessoa.

A minha entrada favorita é Fiori di Zucca, muito comum em toda a Itália. É a flor de abobrinha recheada com mussarela de bufala, um toque de anchova, empanada e frita. É crocante por fora e bem macia por dentro. Não tem gosto forte de anchova, é bem delicada.

Comida Italiana: Fiori di Zucca

Outra entrada muito boa é o Carcioffo alla Giudia (alcachofra à moda judia). É a alcachofra toda frita,  não só o miolo. Pode comer as folhas sem procupação, elas ficam crocantes.

Comida Típica Romana: Alcachofra à moda judia

O prato principal é o Cacio e Pepe, um macarrão com queijo típico da região (Cacio) e pimenta preta (Pepe) , numa casquinha de parmesão. O prato custa €13.00.

Cacio e Pepe

Prato típico de Roma: Cacio e Pepe

Além do Cacio e Pepe, também gostei muito da pasta com funghi e pasta com alcachofra. Da última vez a Gigi, minha amiga, foi quem pediu esse prato.

Comida italiana: Massa com alcachofra

Comida italiana: Massa com alcachofra

Eu pedi um peito de frango com molho de limão Siciliano, acompanhado de chicória cozida com manteiga.

Comida italiana: Frango com molho de limão siciliano

Comida italiana: Frango com molho de limão siciliano

Se você estiver no ânimo para a sombremesa, pode ir no Tiramissu sem receio! O meu acabou rápido demais, nem deu tempo pra foto :O

Comer em Roma

Gigi e Hirochi bons de garfo.

Minha última dica é fazer a reserva algumas horas antes de aparecer por lá, por que o lugar sempre está lotado.

Endereço: Piazza di Santa Cecilia, 24 – Trastevere

Telefone: +39 06 58363165  ou +39 06 5800757

Quer mais dicas para sua viagem a Roma? Confira o posts anteriores:

1. 10 dicas de viagem essenciais para Roma

2. Sobremesa: O melhor gelato do mundo está em Roma

3. Café da manhã italiano

Você foi pra Roma e tem dicas pra dar? Conta pra gente!

4 Comentários

Arquivado em Destinos, Europa, Itália

O melhor gelato do mundo está em Roma

A cerca de 400 metros do Castelo Sant’Angelo você encontra a Gelateria Del Teatro.

É a melhor sorveteria do mundo na minha opinião! O lugar oferece os sabores tradicionais de “gelato” (sorvete italiano) como pistache e chocolate, mas também outros bem diferentes, como abóbora e chocolate (incrível, vai sem medo nessa escolha).

A sorveteria fica numa viela super charmosa, escondidinha do mundo. Então, não tem trânsito ou lojas interferindo no seu momento especial em Roma com a galera ou com o seu amor. É legal para qualquer situação. Se você está procurando um ar romântico, pegue o sorvete e fique alí sem pressa sentado na escadaria. É um daqueles momentos especiais que você acha que só existe em filme, mas quando você está alí, percebe que é tudo real e que o filme é na verdade a sua vida.

O lugar é escondidinho, não dá pra ver direito no Google Maps. É uma das vielas que saem da praça onde o Google Maps aponta como o lugar da gelateria (Via de San Simone, 70).

Achei o preço bem justo. O copinho pequeno com dois sabores sai por €2.00 e o cone de biju artesanal com dois sabores sai por €2.50.

Viela charmosa - Gelateria del Teatro

Viela charmosa – Gelateria del Teatro

Gelato del Teatro

A escadaria faz toda a diferença na atmosfera. E olha só: não tem loja ou trânsito!

Gelato del Teatro

Gelateria del Teatro

Gelato del Teatro

Para ir com a galera ou para um pouco de romance <3

Pensando na janta e no café da manhã? Confira nossas dicas:

1. Café da manhã italiano.

2. Jantar tipicamente Romano.

4 Comentários

Arquivado em Destinos, Europa, Itália

Café da manhã em Roma: Comer como os italianos

Tenho duas sugestões para um café da manhã típico em Roma: ir a um Bar ou uma Padaria.

O conceito de Bar e Padaria é um pouco diferente do Brasil.

No bar você encontra o espresso, latte macchiato (mais leite do que café), caffè latte (mais café do que leite), cappucino, etc. Eles também tem panino (sanduiche frio), spremuta (suco de laranja feito na hora), tramezzino (sanduiche quente), cornetto (cone de massa folhada com creme de baunilha ou chocolate). Enfim, tem para todos os gostos. O legal de ir aos bares de manhã é que você pode ver o caos organizado que é pedir um café. Cena de cinema.

Você encontra bares em qualquer esquina de Roma, então se aventure em algum próximo de onde você está hospedado.

Já as padarias tem mais variedade de doces, mas você normalmente terá que comer fora do estabelecimento. Eu não acho um problema, é só sentar em alguma piazza próxima e curtir o que está ao seu redor, especialmente as pessoas falando essa língua tão linda.

Recomendo a Il Fornaio, que fica entre a Piazza Navona e o Campo di Fiori (Via dei Baullari, 5-7). Eu já comi uma tortinha com pinoli e também um cornetto napoletano com creme de baunilha. Mas tudo parece tão bom…É como entrar na loja da nonna do Willy Wonka.

Il Fornaio

Il Fornaio: Via dei Baullari, 5-7

Doce italiano. Corneto.

Doces de massa folheada e tortinhas de creme.

Cornetto Napoletano alla crema

Cornetto Napoletano alla crema. Foto do Humberto Hirochi.

Roteiro de 3 dias em Roma: Doce romano

Tortinha de pinoli com creme de baunilha…e a cara da pessoa sonhando em destruir o docinho! haha

 

Já pensando na janta e sobremesa? Dá uma olhada nessas dicas:

1. Jantar tipicamente Romano.

2. O melhor sorvete do mundo está em Roma.

4 Comentários

Arquivado em Destinos, Europa, Itália

10 dicas de viagem para Roma

Roma é uma das cidades mais lindas do mundo.  Com tanta história e pessoas interessantes, é com certeza uma cidade para ser vivida. Mas, se você não tem muito tempo ou dinheiro, vão aqui algumas dicas para você aproveitar um mochilão pela cidade:

Dica 1: Compre um chip para o seu celular (tem uma loja da Vodafone na Via del Corso. Mas, você pode encontrar outras na Via del Corso: Tim, Wind, Tre). Na Vodafone, por €25 você terá um número local e acesso à Internet por 2 semanas (claro, sem ficar assistindo vídeos no Youtube com o 3G). Isso vai te ajudar a entender a história dos lugares quando você estiver neles. Eu usei o Wikipédia através do Chrome para iPhone e foi perfeito. Mas, também existem outros apps muito bons.

Dica 2: Empreste ou compre um guia de Roma, com mapa, caso você não tenha um smartphone. Não precisa de um guia muito grande para 3 dias em Roma. Já viajei com o Frommer e com o Lonely Planet, e ambos atendem. Se estiver com o orçamento apertado para a viagem, tente pegar emprestado o do hostel ou hotel que você vai ficar. Normalmente eles emprestam numa boa.

Dica 3: Roma Pass. Se você vai ficar em Roma por pelo menos 3 dias, você pode preferir o Roma Pass ao invés de um guia impresso, que é um cartão que dá direito à entrada no dois primeiros sítios arqueológicos, descontos para museus e galerias, e já vem com um mapa impresso (muito bom) mostrando a localização vários pontos turísticos de Roma. Além disso, também é possível usar o transporte público quantas vezes quiser. Tudo fica em €30,00.

Dica 4: Leve lanchinhos para a sua caminhada. Você vai andar bastante, então é bom ter um lanchinho para matar a fome antes de destruir qualquer snack porcaria e caro vendido para turistas.

Dica 5: Se arrisque nos supermercados! Existem vários tipos de presuntos crus e pães rústicos que são muito bons e baratos.  Além de tudo, é ótimo para entender o que um italiano de verdade come no dia-a-dia.

Dica 6: Você deve ir a esses lugares, são encantadores (e os meus favoritos): Fontana di Trevi, Coliseu, Piazza di Spagna, Piazza del Popolo, Roma Sparita (O melhor e mais aconchegante restaurante de Roma) e Gelateria del Teatro (o melhor sorvete do mundo!).

Dica 7: Evite a tentação de pegar “gelato” em pontos turísticos. O “Gelato” (sorvete) italiano é incrível, quando bem feito. A tentação pode ser grande, mas evite pegar um “gelato” ao redor de pontos turísticos, como a Fontana di Trevi. Eles normalmente são feitos da mesma forma daqueles sorvetes de massa que você compra no supermercado aqui no Brasil. O legal é experimentar os artesanais, como os da Gelateria del Teatro.

Dica 8: Cuidado com o preço do menu italiano. O menu tradicional do italiano nos restaurantes é imenso e eles tem o costume de pedir o menu completo, então cuidado ao pedir, pois a conta pode vir alta. Eles têm:  Entrada (que pode ser mais de um prato), primeiro prato (massa), segundo prato (peixe ou carne), sobremesa, café, e amansa café (são licores que eles dizem ser digestivos. É bem comum eles pedirem após a refeição. O principal é o limoncelo). Claro, vinho e água para acompanhar tudo isso. Ufa..

Dica 9: Uma boa opção para beber vinho bom e acessível é ir ao supermercado. Não sou especialista no assunto, mas descobri, depois de muito vinho com os amigos italianos, que gosto de certos tipos de uva que fazem o vinho ser mais frutado e leve. Se você curte esse tipo também, indico esse no supermercado: Vinho Branco St. Michael-Eppan (Gewurztraminer), €12.00 no máximo.  São restaurantes com preços geralmente mais acessíveis, mas cuidado, pois às vezes eles dizem que é Osteria, mas é na verdade um restaurante bem caro. É só checar o menu antes.

Dica 10: Aperitivo. Se preferir sair para petiscar e ver pessoas, pergunte por lugares onde é oferecido o “Aperitivo”. O “aperitivo” é o happy hour deles, só que você pede uma bebida alcoólica e tem direito a se entupir de comida que eles oferecem (geralmente uma salada, um sanduiche, presunto, queijos). Você paga €7.00 por uma taça de vinho, mas janta barato.

Fontana di Trevi

Gigi e Eu – Fontana di Trevi

Pausa para o lachinho

Pausa para um lanchinho

Piazza di Spagna

Gigi e Hirochi na Piazza di Spagna

Piazza del Popolo

Visual incrível da Piazza del Popolo. Foto tirada do alto da Terrazza del Pincio

4 Comentários

Arquivado em Destinos, Europa, Itália

Fête de la Music: um festival para celebrar a música

Fête de la Music é uma celebração à música que acontece por toda a França no dia 21 de Junho. Há música em todos os cantos das cidades francesas, cada uma com a sua programação especial. Jazz, rock, eletrônico e outros ritmos convivem nas calçadas de cidades seculares.

Além da música, as pessoas e suas histórias me chamaram a atenção. Você encontra todo tipo de pessoa nas ruas para essa celebração, sejam crianças, jovens ou idosos. Eles apoiam os artistas que estão tocando, cantam e dançam todos os ritmos.

Em Cannes, na pequena praça da cidade, uma orquestra de estudantes se prepara para tocar no coreto. É impossível não ficar perplexa em encontrar uma orquestra dessas praticamente no meio da rua. A platéia começa se formar e aguarda ansiosa. Eles começam a tocar o tema de Star Wars e depois emendam outros temas de filmes clássicos do cinema americano que te fazem relembrar a infância.

Minha maior comemoração desse dia foi em Antibes, uma cidadezinha localizada entre Cannes e Nice. De Cannes até lá é preciso pegar um trem, que custa aproximadamente €2,50, e quando descer em Antibes é só ir até o centro que fica a cerca de 15 minutos a pé.

Eu ia de bar em bar com a Gi, minha amiga, passeando pelas ruelas históricas da cidade atrás de um som novo.  Ouvi de hip hop cantado em francês à bandas de rock irlandesas.

Lembro de uma menina de uns oito anos curtindo Killing in the name, do Rage Agains the Machine, como uma verdadeira headbanger. Sua sandália cor-de-rosa não fazia a mínima diferença nessa hora. Ela simplesmente estava curtindo a música sem preconceito algum.

Duas meninas dançavam ao som de uma banda de jazz, uma delas surpresa por estar fazendo aquilo em frente de todo mundo, mas radiante por estar se divertindo tanto. Uma das meninas usava uma flor vermelha no cabelo, mas com o balançar vigoroso do jazz, sua flor cai no chão. Ficam envergonhadas, sem razão, e alguns minutos depois vão embora. Um moço pega aquela flor caída no chão e vai atrás da menina para devolvê-la à sua dona. Fico imaginando como foi esse encontro e se os dois se tornaram amigos, ou quem sabe algo mais. Olha o vídeo delas dançando:

Ainda estou no meu canto, curtindo toda aquela festa ao ar livre, mas ainda quieta, quando alguém me puxa para dançar. E o festival segue dessa forma: conhecendo pessoas e interagindo mesmo sem usarmos palavras.

Esse é só um pedacinho do festival da música na França, cheia de histórias e músicas inspiradoras para ver, viver e sentir. Se você está planejando o seu mochilão pela Europa no próximo verão, vale a pena incluir a França nessa data. O melhor de tudo, é que o festival é de graça, tudo ao ar livre. Perfeito para o mochileiro que não pode gastar muito.

Se você já foi, ou se for um dia, no Fête de La Music, compartilha essa experiência com a gente!

1 comentário

Arquivado em Destinos, Europa, França