Arquivo da tag: Arte

Cavalete Parade

O Cavalete Parade é um movimento que incentivou as pessoas a usarem os cavaletes políticos de propaganda eleitoral (muitos deles irregulares) para criarem sua arte e se manifestarem contra esse tipo de mídia irrelevante e irritante.

Esses cavaletes foram expostos no ultimo sábado, dia 29/09, no canteiro central da Avenida Paulista e em mais várias outras cidades do Brasil.

Nós fomos até a Paulista ver o que rolava e olha só que legal: Depois da exposição, que foi das 13h às 16h, quem estivesse por lá poderia pegar o seu cavalete preferido e levar pra casa!

Eu peguei o meu, lindo! Ainda não descobri quem é o artista, mas aviso vocês assim que descobrir.

Cavalete Parade

Cavalete Parade na Avenida Paulista

Cavaletes na Avenida Paulista

Cavalete “Seja um DêVoto e espere sentado”

Recados das pessoas para São Paulo

Cavalete “Já escolheu seu próximo palhaço?”

Nosso cavalete!

Levando o cavalete pra casa! Esse é o outro lado dele. Olha que lindo!

Valeu pela ajuda, Camis ;)

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Mochilão SP

Santander Cultural, Porto Alegre: The World por Daniel Escobar

No último final estive em Porto Alegre, Rio Grande do Sul e visitei o Santander Cultural.

Lá pude conferir exposições incríveis, como a Rever de Rochele Zandavalli e  a Poesia a fio de Arthur Bispo do Rosário, mas dois pequenos quadros de um artista de Belo Horizonte, me chamaram especialmente a atenção: The World de Daniel Escobar.

Por que será, né? hê

The World surge da idéia de projetar fisicamente um mundo ficcional produzido pela industria do turismo, utilizando guias de viagem de diversos lugares do mundo. As imagens contidas nos guias são recortadas e levantadas das páginas criando cenários tridimensionais que lembram os livros pop-up. Esta espécie de maquete cria um novo mundo que mistura realidade e ficção, mostrando elementos bastante decodificados que passam a ser reorganizados em paisagens fantásticas. A obra também orginou uma série de fotografias que apresentam diferentes vistas deste delicado cenário.”

Depois de pesquisar um pouquinho mais sobre a obra, resolvi dividir aqui com vocês.

insPire-se ;)

Para ver mais obras de Daniel Escobar clique aqui.

Fotos e informações do site danielescobar.com.br

3 Comentários

Arquivado em Brasil, Destinos

Paulista(S)!

Hoje nossa querida Av. Paulista faz 120 anos \o/

Já falamos muitas vezes dela aqui, afinal como falar de São Paulo e não falar dessa avenida que é o grande pulso da cidade? Até o nosso header é cheio de referências a ela ;)

Ô Paulistona… Palco da cultura, dos negócios, da educação e até da saúde da cidade. Ela não dorme, não para. Sempre cheia de pessoas indo e vindo.

Costumo dizer que a Paulista é o lugar onde você nunca está sozinho.

Se você perguntar para 10 moradores de São Paulo, cada um dará uma definição diferente e isso é ser Paulista. Múltipla, diversa, mutável.

É uma pena que as pessoas nem sempre percebam sua beleza. Na correria caótica da cidade, muitos passam por ela sem olhar seus prédios, suas calçadas, seus transeuntes.

Foi pensando nesse anonimato, nos detalhes que muitas vezes passam despercebidos que foi criado o projeto Anonimos – SP, que propõe uma experiência sensorial bem diferente com a avenida e seus espaços. É só baixar o áudio no site, se jogar pela Paulista com seu mp3 e conhecer uma nova Paulista. Ainda não experimentei, mas com certeza o farei. Para saber mais acessem o link: Anonimos-SP

Fica nossa dica e o nosso parabéns a Paulista que é avenida, lar, trabalho, história, diversão.

Para homenageá-la nada melhor que esse vídeo que quero postar há bastante tempo aqui, produzido pelo talentosíssimo Diego Oio em parceria com Felipe Mandl.

Paulista no Maps

Foto por: Jeng

6 Comentários

Arquivado em Mochilão SP

De malte em malte se faz uma Cerveja

Por Marcelo Simão

Meu amor por cervejas não começou assim, de uma hora pra outra.

A verdade é que não curtia muito não, até que um dia conheci a Colorado e suas cervejas especiais, super ultra encantadoras,  uma com um toque de rapadura, outra de mel. Fiquei intrigada com a possibilidade de se misturar cerveja (até então “ECA”), com aqueles ingredientes, e ter uma nova sensação ao tomar cerveja, a sensação do “Huuumm, que delíciaaaa!”

Essa paixão foi crescendo, comecei a ler sobre o assunto aqui e ali e como boa mercadóloga (leia bem, MERCADÓLOGA, nada de marqueteira aqui não…rs), acabei descobrindo que o mercado de cervejas artesanais, embora ainda pequeno no Brasil, vem crescendo a taxas superiores a 100%. Foi aí que a Cerveja virou até tema de TCC na faculdade. Com direito a degustação, decoração, tudinho envolvendo Cervejas.

Entre umas e todas (como diz, Jaime Pereira Filho, dono do Pier 1327), descobri a Eisenbahn, Dado Bier, Murphys, New Castle, XXXX e uma diversidade enorme de cervejas entre nacionais e importadas, STOUTS, BOCKS, MUNICHS, PALE ALES… é, são muitas mesmo.

O amor foi tanto que resolvi fazer o curso de produção de cervejas “caseiras” (na Europa é muito comum as pessoas fazerem suas próprias cervejas). Pra que, né? Só para me apaixonar ainda mais e, descobrir que meus argumentos para minha mãe (quando ela me questiona sobre esse gosto, que pra ela é estranho, né) estavam corretos. Sim, cerveja é uma arte!

Por Marcelo Simão

Por Marcelo Simão

Dia 19 vou aprender a engarrafar a minha linda Pale Ale.

Quem se arrisca a experimentar?

:)

E não é só a produção de cerveja que é uma arte, olha que legal esse site que mostra rótulos de cerveja, lindos, lindos, como o da minha amada Colorado Demoiselle.

From http://www.ohbeautifulbeer.com

Viu? Cerveja é arte da garrafa ao líquido.

Preciso deixar claro que não sou uma bebum…hehe

Aprecio com moderação e com o prazer de aprender sobre cada sabor.

;)

20 Comentários

Arquivado em Mochilão SP

Um domingo cultural que deu samba em SP

Como diria  Marcelo Yuka e o Rappa: “…não me deixe sentar na poltrona no dia de domingo.”

E lá fui eu, levantar do sofá e ir atrás do que fazer em SP no domingão. Assim, meio sem destino…

Primeira parada: Centro Cultural SP, Rua Vergueiro – Paraíso

Interior do Centro Cultural

Passamos (a Carou, eterna companheira de mochilões e eu) rapidinho por lá.
Descobrimos uma exposição sobre arte postal, que se mostrou bem divertida em algumas obras (ou nós que estávamos rindo a toa mesmo). Andando mais um pouquinho por lá, vimos umas obras que chamaram bastante a atenção por misturar religião e imagens, como posso dizer… um tanto quanto polêmicas (minha mãe não ia gostar de ver). Não consigo lembrar o nome do artista de jeito nenhum, dei uma fuçada pela internet e também não encontrei, se alguém souber, por favor, conta pra gente.

Dei um click em uma das imagens

O Centro Cultural São Paulo é um lugar eclético, sempre receptivo a todos. Um lugar delicioso para quem gosta de tranquilidade para ler. E sempre com exposições legais, sua programação conta também com cinema, teatro, dança.

De lá seguimos andando até a Avenida Paulista.

Vista da Avenida 23 de Maio

Segunda parada: Casa das Rosas, Avenida Paulista – Bela Vista

Como não conheci esse lugar antes?
Lindo!!! A casa, que também é um centro cultural, é um dos últimos casarões da Av. Paulista. Transformando a imagem desta avenida tão movimentada, nos coloca frente ao velho e o novo, ao calmo e o frenético. Elementos opostos se misturando em grande harmonia.
Afinal, não teria vista melhor daquela sacada tranquila, envolta de árvores, se não nossa agitada Paulista.
Poucas eram as rosas que realmente tinham no jardim do casarão, acho que não é época delas florecerem, mas na minha imaginação haviam rosas, pessoas de vestidos longos, grande encontros, música, piano. O Casarão realmente mexeu com a minha imaginação.

Biblioteca da Casa das Rosas

Vale a pena conhecer e sempre rolam umas exposições bacanas por lá. No site tem todas as informações.

Avenida Paulista, vista da Casa das Rosas

Seguimos nosso rumo, chegamos a Pompéia, Av. Professor Alfonso Bovero. Não fomos parar lá por acaso, tinhamos uma missão: utilizar o voucher que compramos no Peixe Urbano há meses e estava quase vencendo. Missão cumprida, nos deliciamos no restaurante mexicano Nacho Libre, que tem uma comida bem gostosa. Nos acabamos nos Nachos, Burritos, Tacos e ainda pude tomar suco de cupuaçu, que não tomava desde o meus 6 anos, mas me lembro que adorava, quando criança. Nem lembrava do gosto direito, mas não tive dúvidas na hora que vi no cardápido. Escolha certa, ele é realmente delicioso, como na minha lembrança.

E parecia que esse seria um domingo tranquilo, mas quando se começa um Mochilão sem destino, tudo pode acontecer e uma ligação me desviou do caminho de casa. Fui parar no Bixiga, quadra da Vai Vai. Muito samba no pé e agitação no ensaio da escola que esse ano homenageia o Maestro João Carlos Martins, em seu samba enredo. E o domingo que tinha tudo para se tranquilo acabou em samba.
Viva a diversidade dessa cidade!

 Ensaio na rua em frente a quadra da Vai Vai

Falando em diversidade, no carro, já voltando para casa, uma pergunta surge:
– O Bixiga não é um bairro tradicionalmente italiano?
– Sim
– Você viu algum italiano por lá?

É, tá na hora do Mochilão conhecer o Bixiga.

2 Comentários

Arquivado em Mochilão SP