Arquivo da tag: Lagoa da Conceicao

Florianópolis – Why so magia?

Para ler ouvindo: Ellie Goulding – Wish I Stayed

Bom, esse é o quinto post que fazemos sobre Florianópolis e  não, não é por falta de roteiro. De alguma forma, a vida, os amigos, os ventos, sempre acabam nos levando de volta a essa ilha. Que magia é essa? Acompanhem.

O que nos levou dessa vez, foi uma despedida. Nosso amigo “peruense”, Sergio Villavicencio (dê um search, ele é famoso no blog), depois de alguns anos vivendo por aqui, está indo embora do Brasil e partindo para… algum lugar que ele esteja com vontade no momento. Sentimentais que somos, durante nosso mochilão pelo litoral norte de São Paulo, decidimos que a despedida seria no lugar onde nos conhecemos: o Lagoa Hostel, na Lagoa da Conceição.

Lá fomos nós! Aliás, eu fui antes sozinha, numa quarta-feira. Durante o dia, trabalhava diretamente do hostel e a noite saia para dar uma volta a pé e jantar em algum dos diversos bares e restaurantes da Lagoa. Poderia facilmente me acostumar com essa vida, sabe?

No sábado de manhã, chegaram as mochileiras Kelly, Ju e Dany, que na velocidade da luz, desfizeram as malas e colocaram os biquínis.  Agora sim, lá fomos nós, juntas, desfrutar o máximo de Floripa e do peruense em apenas um final de semana. Ready, set , go!

Roteiro do 1º dia: Barra da Lagoa, Prainha do Leste, piscinas naturais, almoço no restaurante Dois Irmãos e jantar no Nigiri.

Tínhamos esperança de fechar a noite no John Bull Pub, mas terminamos dormindo esparramados pelo hostel. Ainda bem, pois precisamos de muita energia para o roteiro do dia seguinte… e vocês vão precisar de muito autocontrole para não saírem correndo para Floripa AGORA ao verem as fotos.

Prontos?

Continuar lendo

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Brasil, Destinos

Floripa, aí se eu te pego!

 
Para ler ouvindo: TOP FIVE ESPECIAL EDITION
 
1. Road Trippin’ – Red Hot Chilli Peppers
2. All my life – Foo Fighters
3. Call your girl friend – Robyn
4. Balada Boa – Gustavo Lima
5.  Ai Se Eu Te Pego – Michel Teló 
 

É, Florianópolis pegou a gente de jeito (lembram-se da série de posts da nossa primeira viagem pra lá? Confiram aqui, aqui e aqui) e foi o lugar escolhido para entrarmos em 2012 com o pé direito.

Não sabemos explicar o que acontece com esse lugar, se é o clima, as praias, as pessoas… mas Floripa realmente nos cativou e ainda não conheci alguém que foi pra lá e não voltou com vontade de ficar. (Nossa mochileira agregada que o diga né, Kelly?)

Dessa vez ficamos hospedadas em uma pousada em Canasvieiras, uma praia no norte da ilha, conhecida por receber os vizinhos Uruguaios, Argentinos, Paraguaios e Chilenos (Só dava Uruguaio dançarino de reggaeton. Danzaaaa Kudurohê). Apesar de ser uma praia turística, as coisas por lá não são caras. Almoçamos em lugares bem gostosos, como a Capetaria Porto Seguro, onde os pratos são enormes e gastamos nos máximo R$20 reais, incluindo bebida.

Conhecemos também a famosa Jurerê Internacional, a praia mais VIP de Floripa. Lá os preços são bem diferentes, mas as barracas de drinks que ficam pela areia, vendem caipirinhas ótimas por R$15,00 o copo de 500ml. Justíssimo!

Fizemos um passeio de escuna muito animado na Escuna do Capitão Gancho, saindo de Canasvieras e passando por lugares lindos, como a Ilha do francês, Costeira da Armação e Ilha de Anhatomirim.

E claro, voltamos ao nosso amado cantinho da ilha: A Lagoa da Conceição (own!).

Passamos a virada mais animada da vida em uma festa no Hostel Green House. Que é lindo, mas um pouco longe de tudo. A praia mais próxima é a do Campeche, onde pulamos as nossas sete ondinhas. A festa foi organizada em parceria com o Lagoa Hostel, nosso queridinho em Floripa.

Vocês devem estar pensando: “Essas meninas ganharam na Mega-Sena da Virada?” Não! Fuçando na internet encontramos a Ecotrips que realiza viagens com preços ótimos, incluindo hospedagem, transporte e a companhia de uma galera muito animada. Depois da experiência de Floripa, o Levo na Mochila prevê altas aventuras com clima de azaração, aprontando muitas confusões com essa turminha do barulho. #sessaodatardefeelings

Mais dicas? Continue lendo.

Continuar lendo

6 Comentários

Arquivado em Brasil, Destinos

Floripa, como é difícil se despedir

Para ler ouvindo: Drops of Jupiter – Train

 

Mais dicas de Floripa :)

1. Praia Mole – Como não fomos na alta temporada e nem rolou aquele sol, a praia Mole não estava badalada como sempre ouço dizer que ela é. Tudo estava calmo por lá, alguns surfistas e uma paisagem incrível. Imagens que não quero esquecer. Sentar nas pedras, olhar o mar e se sentir pequenininho diante de toda aquela maravilha. Essa foi a Mole para nós :)

2. Barra da Lagoa – Chegar à Barra da Lagoa, sentar no mirante, observar o encontro da Lagoa da Conceição com o mar, foi um dos momentos mais marcantes da viagem. De verdade, naquele momento me senti feliz como uma tola e que vontade de gritar isso ao sete cantos que deu. hehe

Na Barra da Lagoa tem uma trilha que leva às piscinas naturais, vimos fotos, mas não deu tempo de irmos até lá, fica a vontadinha pra próxima.

3 – Restaurante dois irmãos – Nosso almoço no Dois Irmãos foi do jeito que a gente gosta: BBB – Bom, bonito e barato. Quando vimos a quantidade de comida achamos que não íamos dar conta, mas não dava para não se matar de comer aqueles filézinhos de peixe deliciosos e ainda mais sendo boas de pratos como somos, não sobrou nadinha.

E o atendimento, como em todos os lugares que passamos em Florianópolis, não deixou nada a desejar.

4 – Projeto Tamar – Aprendizado e oportunidade de se sentir mais perto da natureza. Quem vai a Florianópolis com crianças não pode deixar de passar pelo projeto, eles realizam muitas atividades e brincadeiras.

Todo esse percurso dá para fazer tranquilamente de ônibus saindo da Lagoa da Conceição ;)

Depois do longo dia de passeios, voltamos para arrumar nossas coisas e nos despedir do que chamamos de “podia ser nossa casa”. Saímos com nossas malas, dando uma última olhada na cidade, suspirando e tirando milhares de fotos mentais. Para aguentar a dor, resolvermos nos afundar em um copo de… café Nutella do Empório Mineiro. Aliviou bem.

Enfim, pegamos o voo de volta, olhamos as fotos na máquina, relembramos os melhores momentos e planejamos a próxima mochilada. Felizes =)

Floripa foi uma “soul vacation”, uma viagem para não se esquecer.

Deixou uma certeza: seja para visitar ou para morar, nós voltaremos!

Publicado por: Danyelle Fioravanti e Fernanda Mendes

Fotos: Danyelle Fioravanti e Fernanda Mendes

6 Comentários

Arquivado em Brasil, Destinos

Floripa e o que a vida tem de bom

Para ler ouvindo: Good Life – One Republic

Na viagem a Florianópolis foram muitos os momentos em que me peguei falando ou pensando: A vida é boa demais!!! Cada lugar onde passamos deixou um pouquinho dessa sensação de que os perrengues do dia-a-dia valem a pena :)

Como era nossa primeira vez na ilha, conhecemos mais a parte leste, onde fica a Lagoa da Conceição. É um lugar muito procurado por turistas e as praias que fomos: Joaquina, Mole e Barra da Lagoa, são bastante frequentadas por surfistas. Quando você chega à Joaquina logo entende porquê, como ventaaa!!!

Algumas dicas do que conhecer em uma trip rápida para Floripa.

1. Empório Mineiro – Já tinha lido sobre o empório em alguma revista e logo quando chegamos à Lagoa demos de cara com ele. A fominha que estávamos, pois nosso vôo foi bem cedo no sábado, não nos deixou dúvida que tínhamos que parar uns minutinhos ali para um café. O lugar, seus quitutes e o atendimento são tão primorosos que os minutinhos viraram algumas horas de apreciação da vista da Lagoa, acompanhadas de um bom café.

Não deixem de pedir o café mineiro com doce de leite, o cappuccino com macadâmia e o café nutella. Não tem como não querer todos!

 

2. Lagoa Hostel – Assim que entramos no Lagoa Hostel sentimos que aquela viagem seria cheia de histórias e não estávamos enganadas. Quanta história para apenas dois dias. O Sergio e o Rafael nos atenderam super bem e deram muitas dicas do que fazer por lá. O café da manhã também não deixa nada a desejar. Já pode voltar?

 

3. Lagoa da Conceição – Após algumas tentativas de alugar um carro ou uma scooter fracassadas, decidimos investir em uma caminhada pela Lagoa da Conceição até a praia da Joaquina. Ventava bastante e o percurso era de quase uma hora, mas a vista é tão bonita que só dava pra notar o sorrisão no rosto das duas mochileiras :D

 

4. Dunas e Praia da Joaquina – Tem areia na minha orelha até hoje!!! Como venta na Joaquina, o que de fato atrai muitos surfistas e o que faz da vista ainda mais bonita. hê

Camarão, caipirinha e ver o mar…existe algo mais clichê da vida boa do que isso?

 

5. The Black Swan Pub – Nas primeiras horas em Floripa já mapeamos alguns pub’s na região da Lagoa e planejamos um Pub Craw. O escolhido para ser o primeiro da noite foi o The Black Swan, que nos chamou bastante atenção pelo seu nome. A ideia era tomar alguma cerveja ali e então continuar em um roteiro cervejeiro pela noite de Florianópolis, mas quando a banda Doc subiu ao palco foi impossível sair de lá. A banda tem um repertório incrível de covers e versões muito bem tocados. Acabamos não indo a nenhum outro bar e não nos arrependemos nem um pouquinho ;)

 

Como esse post ficou gigante, conto do segundo dia no próximo ;)

#ficatemmaisdica

Publicado por: Danyelle Fioravanti

Fotos: Danyelle Fioravanti e Fernanda Mendes

3 Comentários

Arquivado em Brasil, Destinos

Florianópolis, não dá pra resistir

Para ler ouvindo: Call Your Girlfriend – Robyn

Dany e eu estávamos vivendo um ritmo frenético de trabalho, estudos e compromissos, #nãoestavasendofácil então em um domingo, no meio da nossa vídeo-aula de matemática zero, decidimos que merecíamos uma pausa. Começamos a procurar passagens em promoção, a intenção era passar um final de semana offline, offtudo, em algum lugar muito lindo. Daí escolhemos Florianópolis.

Ouvimos falar muito bem sobre a ilha, mas uma matéria da revista Viagem e Turismo nos causou certo receio. Na reportagem o autor falava coisas como “não chame Florianópolis de Floripa, é coisa de turista” e “não peça sequência de camarão em um restaurante ou vão rir de você”. Ficamos com a impressão de que seria ruim se os moradores percebessem que éramos turistas. Que bobagem.

Logo na saída do aeroporto fomos abordadas por um simpático motorista de taxi executivo, que nos levou até a Lagoa da Conceição por um preço camarada, e notando o neon na nossa testa que piscava “TURISTA”, deu dicas de passeios com preços dignos e ainda orçou pousadas e locadoras de carros pra gente. Era tanta gentileza que, desconfiamos que ele iria nos sacanear a qualquer momento, mas isso não aconteceu, o cara só queria ajudar mesmo.

Nos sentimos sortudas por conhecer alguém tão gente boa logo no começo da viagem, porém em pouco tempo percebemos que o Rafael (o taxista) não era exceção, era a regra! Fomos perdendo o receio aos poucos, relaxando, deixando as neuroses paulistanas para traz e nos rendendo, rendendo…

 Somente dois dias em Florianópolis, a maior parte do tempo na Lagoa da Conceição, foram suficientes para nos sentirmos em casa. Sabe quando você conversa com alguém pela primeira vez e se sente tão confortável que parece que sempre foram amigos? Lá, isso acontecia o tempo todo. O Sérgio, administrador do Lagoa Hostel que o diga! Desde a hora que abriu a porta pra gente, não paramos mais de falar. Cada história…

Para duas garotas nascidas e criadas em São Paulo, estar em um lugar onde as pessoas sorriem, conversam, não jogam lixo na rua, param o carro sempre que alguém se aproxima da faixa de pedestres  e ao pedir informação para o garçom, ele larga a bandeja na mesa e te leva para fora do restaurante só pra mostrar em qual rua você deve entrar, é realmente uma experiência diferente. Até coisas pequenas como perceber que todos os postes da Lagoa são decorados com mosaicos de espelhos e azulejos, nos encantaram.

Era oficial: fomos conquistadas pela ilha e seus manezinhos ♥

Alô, Gol? Quando sai a próxima promoção?

Agora um recadinho pra nossa cidade linda que ficou enciumada:

São Paulo, meu amor… não estamos fazendo comparações, pois são realidades, culturas, contextos históricos muito diferentes… é que Floripa nos ofereceu experiências e sensações que nunca tivemos aqui e queríamos saber como seria viver aquilo, não deu pra resistir, entende? E foi bom, muito bom. Pensamos em largar tudo e não voltar? Sim, admitimos… no entanto voltamos. Voltamos porque te amamos, apesar de você ser uma louca, nos deixar loucas e estar um pouco largada. Sabemos que não é fácil ser você e te perdoamos por te trair.

Por isso não duvide no nosso amor, ele é verdadeiro. Apenas aceite que de vez em quando vamos nos engraçar com outras cidades em busca daquelas novas experiências e sensações… mas no final a gente sempre volta.

Publicado por: Fernanda Mendes

Fotos: Danyelle Fioravanti e Fernanda Mendes

7 Comentários

Arquivado em Brasil, Destinos