Arquivo da tag: natureza

Pico do Jaraguá Parte II

Quem acompanha o blog a um tempo talvez se lembre de um post sobre o pico do Jaraguá. Eu e a Dany (muito corajosas que somos) fomos lá ver São Paulo de uma vista super privilegiada… só que não conseguimos terminar a trilha. O sol estava muito forte, a trilha não era bem planejada e em um determinado momento simplesmente não conseguíamos mais subir, então prometemos voltar um dia para terminar. Isso aconteceu em 07/02/2011 e essa semana, depois do feriadão, eu consegui finalmente ir terminar essa caminhada.

Infelizmente a Dany não foi junto pois a geografia não permitiu... As corajosas da vez foram a Fer e a Borges.

Para quem desanimou por eu ter falado que a trilha era mal planejada, se anime!

Agora ela é bem planeja (ou, só melhor, não vamos exagerar).

E para quem nem se animou para começo de conversa, se anime também!

É possível chegar lá em cima de carro. ;)

Dicas do que levar:

– Protetor Solar

– Água, muita água! (deixe algumas garrafas no congelador assim não ficam todas quentes de uma vez – levamos 3 garrafas para cada e foi o suficiente para o caminho todo).

– Comidas práticas: pão de forma, frios, frutas (banana, uva e maça são as melhores).

Não precisa levar muita coisa, só leve o suficiente para fazer um passeio saudável e sem problemas.

A caminhada pode ser cansativa, mas o esforço vale à pena!

Ah! Não percam o post: Pico do Jaraguá Parte I

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Mochilão SP

Parque da Independência

Eu queria mesmo era fazer uma andança pelo bairro do Ipiranga todo, que é todo fofinho, cheio de casinhas antigas e senhorzinhos pelas ruas, mas como fui abandonada pela Juliana Freitas, minha amiga e moradora do bairro (que me prometeu um passeio por lá e até agora nada), acabei indo visitar a região do Parque da Independência, pois a companheira de Mochilão, Carou Machado, queria ir à uma exposição no Museu Paulista, vulgo Ipiranga.

O lugar costuma ser lindo quando florido, mas não é época de flores e o dia não tava muito bonito, mesmo assim tiramos umas fotenhas por lá: no Museu, no Parque da Independência, na casa do Grito,  no Monumento da Independência, nas margens plácidas e nada cheirosas do rio Ipiranga e por fim no museu de zoologia, que fica ali pertinho na Av.  Nazaré.

O melhor do dia foi Tempurá que comemos lá, gigante e com direito a um molhinho de pimenta maravilhoso que me ganhou, afinal sou uma boa filha de mineira e não resisto a uma pimentinha :)

Aconselho quem for fazer o passeio pelo local ir em um dia de sol, deve ser bem mais legal. Mas valeu, mesmo com o dia super nublado…

O museu tem muita coisa bacana, adorei a exposição sobre as casas paulistas, contextualizando o espaço doméstico com o comportamento social.

O Parque da Independência é repleto de árvores maravilhosas (imagina quando floridas), super indico para quem gosta de natureza e o monumento tem esculturas belíssimas. Curti!

Já o museu de zoologia, nós achamos meio sem gracinha, talvez seja nossa falta de conhecimento no assunto, ainda assim rendeu boas risadas com os bichos “empanados”, segundo um moço que estava lá, olhando os bichos empalhados. Espertinho ele, né? :D


Veja bem, Juliana Freitas, eu quero voltar e conhecer o bairro todo, ok?
;)
Fotos: Carou Machado e Dany Fioravanti.

7 Comentários

Arquivado em Mochilão SP

Pico do Jaraguá

>

Fazer esse post foi difícil, são muitas fotos, muita coisa legal para mostrar.
O Pico do Jaraguá é simplesmente lindo, natureza mesmo, gosto muito! Um pedaço preservado de mata bem no meio do cinza que domina SP (infelizmente). A gente ama São Paulo mesmo assim, né? E ter um pouco de verde ainda é muito bom, agora é cuidar dessas poucas áreas que nos restam.

Escolhi algumas fotos e to tentando montar um videozinho que gravei subindo a trilha do Pai Zé, que leva ao ponto mais alto da nossa cidade (se ficar bom eu posto depois). Não conseguimos chegar exatamente no Pico, mas chegamos bem pertinho dele. E apesar do cansaço, afinal a trilha não é das mais fáceis, valeu super a pena. É muito gostoso ver a cidade lá de cima.

Adivinha quem foi a companheira que topou o passeio? Carou Machado
Essa é das minhas :) E ainda está super animada para voltar e completar a subida até o mirante que fica bem no pico mesmo.

O Pico fica dentro do Parque Estadual do Jaraguá e subir até ele não é a única atração do parque. São várias trilhas, locais para piquenique… Fuçando um pouquinho na internet, descobri que a Trilha do Silêncio (que estou super curiosa para conhecer – um lugar bem no meio da cidade, onde o barulho dos carros não chega) foi planejada pensando na melhor idade e portadores de necessidades especiais. O site do parque (bem ruinzinho, por sinal) não confirma a informação, então vale ligar lá e dar aquela conferida, caso algum portador de necessidades especiais queira curtir a trilha.

Falei que era muita coisa para contar, esse post já está ficando gigante e eu nem contei do nosso encontro com os macaquinhos, que eles eram bravos e queriam morder a galera que passava pela trilha. Também não contei que levamos tudo para piquenique e escolhemos a trilha que não tem local para piquenique…
Mas como uma imagem vale mais do que mil palavras (eu e o clichês), vou deixar as fotos terminarem de contar como foi o passeio.

  
Um tombinho de nada na descida
O Parque Estadual do Jaraguá fica na Zona Oeste de São Paulo. Pertinho do km 14 da Anhanguera.
Dá para ir de trem e ônibus e é mais fácil do que parece, olhando no Google Maps. Com algumas baldiações você chega na estação Jaraguá e em uma rua próxima a estação tem vários ônibus que passam na Estrada Turística do Jaraguá. Se você mora na zona sul, vai demorar umas duas horinhas para chegar lá, mais vale a pena.
Mais infos no site do Pico do Jaraguá.

4 Comentários

Arquivado em Mochilão SP

Parque da Água Branca

>

Domingão de sol combina com parque!

O parque da Água Branca fica na região da Barra Funda, na Av Francisco Matarazzo. Para quem mora no extremo sul de São Paulo, como eu, é um pouco longe, mas vale super a pena.
O parque tem, além de muito verde, diversas atividades e um cuidado especial com a melhor idade.
Pude perceber que ali, essa geração tem espaço e opção: há lugar para aqueles que buscam praticar atividades físicas, na Praça do Idoso existem alguns equipamentos para exercitar o corpo e renovar a alma; Para os senhores e senhoras e, até mesmo, jovens, adultos e crianças amantes da boa música há espaço ao ar livre para curtir e admirar grupos musicais, no domingo um grupo estava tocando clássicos como Brasileirinha,  Trem das Onze… como estava com a família e meu sobrinho logo saiu correndo para desbravar o parque não consegui me informar se o grupo sempre se apresenta por lá, mas sei que na praça próxima aos quiosques de leitura sempre se apresentam grupos de música, dança e teatro;
E para aqueles que sentem falta da vida tranquila de tempos atrás em São Paulo ou para aqueles que sentem falta da terrinha que deixaram para vir para cá, há também o “cantinho caipira” do parque, um verdadeiro espaço reservado a cultura sertaneja e interiorana com muita música e comida típica. Lá vi que não existe idade para soltar o corpo e se jogar numa boa dança, seja sozinho, em dupla e até mesmo em rodas muito animadas.
Me impressionou a limpeza e organização. As pessoas em geral são bastante acolhedoras e educadas, o que faz do parque um ambiente bem familiar e tranquilo, sem aquela ‘muvuca’ que vemos muitas vezes no Pq. Ibirapuera, na Av. 23 de Maio.
Dentro do parque há o Aquário Água Branca, com muitas espécies de peixes e anfíbios. O aquário funciona como uma estação de conhecimento e conscientização sobre a importância  da preservação das águas para a vida animal e humana. Ali, além de admirar as bonitas e esquisitas espécies de peixe, fiquei feliz em ver a criançada curiosa, com fome de saber, perguntando sobre os peixinhos.
Para essa criançada toda, jovens e adultos com fome de conhecimento, tem também os espaços de leitura.  E fala se não é uma delícia ler ao ar livre? Sentindo a brisa do vento e ouvindo o som dos passarinhos.
O parque é bem grande, não deu tempo de conhecer tudo que ele oferece em apenas um dia, na saída avistei uma grande área que não conheci, parece ser dedicada  a cavalos, equitação… vi que tem até a casa do cavalo árabe. Fiquei curiosissíma e espero voltar em breve.
No site do parque dá para conferir todas essas atrações, os cursos, atividades e o calendário de eventos.

#ficadica

Essa merece estrelinha especial, como não sei fazer estrelinha, vai um balão (rs) ♦

E um muito obrigada a @mariliases e fez as montagens pra mim.
Deu pra perceber que melhorou bastante, né?!

Deixe um comentário

Arquivado em Mochilão SP